Gestão do fluxo de caixa: seis dicas para micro, pequenas e médias empresas

A gestão do fluxo de caixa é uma medida indispensável para os proprietários de pequenas empresas. Por essa razão, pode ser uma das mais difíceis de serem otimizadas, sobretudo, quando os empreendedores estão no início da jornada em busca do sucesso e os recursos podem estar apertados.

Em todo caso, é preciso investir em boas estratégias de planejamento, a curto, médio e longo prazo. Esse roteiro pode ajudar a traçar formas de conquistar as metas e equilibrar as suas finanças.

Veja seis dicas para otimizar o fluxo de caixa da sua micro, pequena ou média empresa!

1. De quanto dinheiro você necessita por mês?  

É importante saber quanto dinheiro você precisa para sobreviver – tanto para você pessoalmente quanto para os negócios. Primeiro, descubra quanto dinheiro você precisa para viver; para começar, planeje tirar o máximo proveito do negócio. Em seguida, descubra quanto dinheiro sua empresa precisa para aluguel, serviços públicos, funcionários ou quaisquer outras despesas necessárias para se manter à tona.

Depois de definir esses dois pontos, você terá uma linha de base para trabalhar. Organize o seu orçamento com cautela e coloque algum dinheiro reservado em um fundo de poupança de emergência para quando o inesperado aparece na vida ou nos negócios.

Se você está apenas começando e não tem como definir um orçamento mais preciso, tenha em mente que é preciso separar a sua renda e as despesas.  Neste sentido, você pode decidir que é mais prudente expandir seus negócios antes de se recompensar. Quando estiver um pouco mais estabelecido e tiver um histórico de ganhar dinheiro, você terá bastante tempo para se dar um aumento.

2. Monitore seus padrões de fluxo de caixa

A maioria das empresas tem algum tipo de padrão de receita e despesa. Em seguida, você aprenderá como são os padrões de fluxo de caixa de sua empresa. Depois de concluir o primeiro passo para descobrir suas necessidades mensais de caixa, você será mais capaz de lidar com o segundo passo, observando os números mês a mês e fazendo quaisquer ajustes usando dados reais. Um bom software de gestão empresarial também pode ajudá-lo a visualizar seu fluxo de caixa com relatórios fáceis de gerar.

Ter o conhecimento acerca do padrão de fluxo de caixa pode ajudá-lo a reunir previsões de vendas e receita e antecipar a aparência de suas contas a pagar e a receber, para que você possa planejar adequadamente e tomar decisões mais assertivas.

Ser capaz de antecipar seu fluxo de caixa também o ajudará a fazer os ajustes necessários antes que as coisas saiam do controle. Você não quer acabar com muito dinheiro na mão que poderia estar funcionando para você, ou, claro, muito pouco.

3. Seja prudente ao investir

Pode ser tentador ampliar o espaço de escritório, adquirir o mais novo equipamento e a maior equipe. Resista à tentação! Seu negócio irá prosperar porque você oferece um produto ou serviço superior, não por causa do aspecto do back office. Faça o que puder. Estique-se antes de contratar pessoas. Se você tiver funcionários, verifique se todos são tão eficientes quanto possível.

Se e quando você precisar pedir dinheiro emprestado para crescer, tome o mínimo que puder para atingir seu objetivo. Certifique-se de que você pode lidar com os pagamentos desse empréstimo antes de aceitar mais, ou você se verá, na melhor das hipóteses, em um ciclo vicioso e, na pior das hipóteses, inadimplente e saindo do negócio. Empréstimos e devolução de valores menores também ajudarão seu controle de crédito, permitindo que você se qualifique para taxas de juros mais baixas no futuro.

4. Obtenha o empréstimo certo para o seu negócio

Se você for pedir emprestado, faça sua lição de casa. Há muitas opções disponíveis, e algumas podem ser mais prejudiciais à sua empresa do que úteis. Eduque-se sobre o mercado financeiro e busque opções mais vantajosas para o seu segmento comercial.  

5. Economize sempre

Além de manter sua operação o mais enxuta possível, aproveite as oportunidades de poupar dinheiro sempre que possível. Alguns fornecedores oferecem descontos para o pagamento antecipado de faturas. Se o seu fluxo de caixa puder lidar com isso, você poderá economizar alguns por cento, o que se soma.

Se a sua empresa não depende de equipamentos de última geração, compre produtos usados ​​de qualidade. Computadores recondicionados e produtos eletrônicos geralmente têm a mesma garantia que os novos, mas custam uma fração do preço. Mobiliário de escritório usado também é uma pechincha.

Obter um cartão de crédito empresarial que vem com algum tipo de desconto ou programa de pontos, então há um benefício adicional para fazer compras com ele. Claro, certifique-se de que a taxa de juros do cartão e outras taxas são competitivas, e planeje pagar seu saldo a cada mês. Também é preciso dizer que você não deve comprar coisas que você não compraria para obter as recompensas. Só faça compras das quais você precisa e pode pagar e lembre-se de manter seus gastos corporativos e pessoais completamente separados.

6. Seja pago pelos seus clientes

Soa engraçado, certo? Claro que você será pago! Sim, mas não a menos que você tenha certeza de manter os registros adequados, enviar as faturas em tempo hábil e ficar no topo de suas contas a receber. Muitos donos de pequenas empresas são surpreendentemente negligentes quanto à papelada envolvida em receber o pagamento pelo que fazem.

Faça disso uma prioridade, ou você logo se encontrará em péssimas condições. Com um software de gestão empresarial, você poderá ter o controle em tempo real de todas essas pendências. Essa pequena despesa adicional será recompensada em grande escala.