Imagem com equipe de 5 pessoas com mãos unidas e alegres. Título: O desafio de formar uma equipe VENCEDORA

O desafio de formar uma equipe VENCEDORA

Você com certeza já ouviu a frase: “Seja mais líder, saia um pouco da operação!”. Este é um desafio que qualquer profissional passa ao transitar de uma carreira técnica para a de gestão.

Neste artigo aprenderemos com Eberson Terra como teve sucesso na formação de sua equipe vencedora com 5 valores.

Eberson possui 13 anos de experiência na área de tecnologia, processos, qualidade de software e gestão de projetos. Iniciou a carreira como gerente e desenvolvedor dos projetos na Secretaria de Gestão Pública do Mato Grosso do Sul (MS), onde conquistou o Prêmio Excelência em Governo Eletrônico (e-Gov 2005) com os cases de Pregão Eletrônico e Pregão Presencial.

Ingressou na área de gestão acadêmica para implantar o Escritório de Projetos (PMO), em 2006, na IUNI Educacional, que foi adquirida posteriormente pelo Grupo Kroton.

Em 2009, já na Kroton, implantou o CSC de Alunos, onde atuou como o diretor da área até fevereiro de 2018.

Sob sua gestão, este CSC conquistou o Prêmio Nacional de Gestão Educacional (PNGE) por dois anos seguidos (2016 e 2017); o Prêmio Época Reclame Aqui, como Equipe Campeã de Atendimento em 2016, com a marca Anhanguera Educacional; e o Prêmio Destaque de Gestão de Pessoas, da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD).

“Com o tempo e experiência, você naturalmente fará com que suas competências comportamentais sejam o fio condutor para emanar seus VALORES como líder. Por isso PRATIQUE!”

Eberson Terra

Eu tive a oportunidade e o privilégio de liderar gente MUITO BOA! Foi um prazer gigantesco, mas também um belo desafio em transformar tanto talento em um único time!

Lembro de quando éramos apenas 40 profissionais em uma equipe recém consolidada para a formação de um novo CSC (Centro de Serviços Compartilhados), em 2009.

De lá até o início deste ano, quando deixei minha posição na diretoria, nosso time era formado por incríveis 530 colaboradores e mais 1.800 espalhados em nossas unidades de negócio.

Muita coisa aconteceu em 9 anos de operação e o principal legado neste desafio foi de colocar nossa paixão em sintonia para alcançarmos, JUNTOS, objetivos maiores que nossas próprias ambições profissionais, mostrando que elas são consequência e não motor para o crescimento.

Apesar de boa parte dos textos que vimos na web sobre “como melhorar a capacidade de entrega de um time” estarem pautados em características técnicas e comportamentais para um líder, minha ideia foi trazer luz a um tema debatido de maneira muito etérea e longe das equipes operacionais de uma empresa: seus VALORES!

A maturidade para entender gaps e principalmente em resolver conflitos, cresceu ao longo da minha jornada e se tornou cada vez mais necessária naquele ambiente de alta complexidade.

Sim, as habilidades técnicas que eu havia aprendido e estudado com afinco para se tornar um gestor foram importantes, mas duramente contestadas e colocadas em xeque na dura batalha da PRÁTICA e não mais da TEORIA.

A PRÁTICA mostrou que estes ensinamentos não eram suficientes para desafios que cresciam exponencialmente em um mundo em constante mudança e sim um alicerce para a tomada de decisão.

Aliás, as habilidades técnicas foram relevantes para criar senso crítico e entender melhor as situações, mas não para resolvê-las.

Já as competências comportamentais, que foram cultivadas e reafirmadas a cada novo cenário desafiador, me mostraram que as mesmas não serviam para uma possível aplicação padronizada, como um antídoto para uma doença conhecida.

Elas foram colocadas como cartas em uma mesa, para possíveis formas de atuar e precisaram ser combinadas corretamente para alcançarem um bom resultado.

E sabe por que? Porque pessoas são diferentes e não podem ser tratadas como padrões. Simples assim!

Se as habilidades técnicas me dão alicerce e as competências comportamentais me ajudam a resolver conflitos, qual o motor para transformar talentos avulsos em um time vencedor? VALORES!

Comece a expressar valores e menos técnica!

No início, você será respeitado SIM por sua experiência e conhecimentos técnicos, mas eles não serão perenes. Sendo líder, com o passar do tempo novos procedimentos e soluções técnicas serão implementadas e você, um pouco mais distante da operação, precisará transformar gradativamente sua atuação e consequentemente sua liderança, emanando mais valores para guiar e manter seu time performático.

Cada vez mais, seus colaboradores terão que confiar em você pelo seu exemplo de conduta e não mais pelo seu exemplo operacional.

Ao longo desta jornada, estabeleci cinco valores que busquei emanar para o meu time e que, acredito fortemente, terem sido chaves para uma liderança duradoura em uma cadeira de diretor de uma área cheia de desafios atrelados diretamente ao sucesso do negócio. São eles:

1. Honestidade

Eu nunca escondi nada do meu time! NADA! Isto obviamente não é conter assuntos sigilosos, mas é expressar que cada ação ou decisão teve um motivo, seja ele bom ou ruim para a equipe, ela terá que acontecer para o bem da empresa.

Nem sempre ganhamos, e a percepção de “perda” para um time deve ser revertida se a situação for o melhor para o objetivo maior. Como reverter este sentimento: conte a verdade!

2. Coerência

Se você é honesto, boa parte de seus argumentos para seu time já serão COERENTES. O pior sentimento para uma equipe é a sensação de “dois pesos e duas medidas”.

Ter um time seguro de que seu líder é coerente ou preza pela coerência, é a melhor forma de compreender decisões que parecem, em um primeiro momento, antagônicas entre si.

Em um mundo complexo, decisões são revistas facilmente e até alteradas completamente e seu time merece entender quando elas acontecem!

3. Confiança

Se você é honesto e coerente, seu time confia em você, e é importante ter RECIPROCIDADE. Formar um time vencedor depende da confiança que o líder tem em sua equipe.

Emane bons valores e aquilo se propagará. Em seu artigo mais marcante sobre liderança, o Marc Tawil, fala sobre como o líder precisa desenvolver suas equipes no âmbito pessoal, guiando-as a um propósito, desenvolvendo assim um time mais humanizado.

Confiar é perceber que seu time é maduro o suficiente e está emanando valores únicos. Deixar que isso flua naturalmente sem podá-los é a maior prova disso.

4. Empatia

Coloque-se no lugar do time. Engajá-los para um desafio muito difícil é importante, fazê-lo com uma meta impossível, é DESUMANO! Empatia com um time é garantir que você é seu maior defensor.

É observar que o cansaço faz parte do caminho, mas explorar um time até as últimas consequências enfraquece o seu laço com eles.

Compreenda o limite de seu time e seja empático em levantar sua bandeira. E mesmo que exista sofrimento, mostre tudo o que você fez para apoiá-los!

5. Empoderamento

Para um líder técnico em transição o maior desafio, talvez seja o de “largar o osso” da operação. Eu sei, este foi um de meus maiores sofrimentos. Quem não EMPODERA, não cresce e não deixa seus liderados crescerem.

Quer ter uma carreira longa e crescente, dê espaço para mostrarem seus atributos e conquistas. Pratique menos o EU, mais o NÓS e MUITO MAIS o: VOCÊS!

Quer saber o que conquistei compartilhando estes 5 valores com minha equipe?

Um grupo de amigos para a vida inteira que não negam um bom desafio!!! Vencedores juntos e (espero) com algo de mim em seus corações!

Artigo publicado originalmente no Linkedin de Eberson Terra.